Wednesday, May 24, 2017

A dinâmica oculta dos vícios e suas possíveis saídas

                                                                                                         Leonardo de Paiva



Resultado de imagem para bert hellinger 

O psicoterapeuta sistêmico Bert Hellinger vem, há algum tempo, nos surpreendendo e emocionando com a suas descobertas e sistematização de um pensamento sistêmico baseado nas suas experiências de psicoterapeuta, ex sacerdote católico, filosofo e observador da cultura do povo africano Zulu.


Hellinger nos traz frases como esta: "O passo decisivo para o crescimento é quando alguém de repente se encontra diante de sua impotência, olho no olho, e assume: aqui sou pequeno."


O vício é uma dessas dificuldade e amaras mais cruéis e difíceis de serem removidas, pois com o tempo passa a ser um verdadeiro companheiro, nas horas de solidão, tristeza, alegrias, dificuldades, comemorações...


Bert Hellinger, muito sabiamente, disse: “Torna-se viciado aquele a quem falta algo. Para ele, o vício é um substituto”, e segundo Hellinger, normalmente essa falta é a da inclusão do pai, na nossa vidas. 

Todavia o próprio Hellinger colocou nas sua observações e já constatamos na prática, que a falta da mãe ou a necessidade de se sentir incluído pela mãe, também pode levarmos à busca de um substituto ou algo que nos traga a sensação de inclusão. O pai, normalmente uma inclusão pelo sucesso financeiro, e a mãe pelo reconhecimento, no âmbito mais afetivo.


A dependência do vício pode ser definida como uma compulsão do adicto, para o uso da droga ou comportamento compulsivo (álcool, cafeína, chocolate, sexo, jogo, entre outras) buscando a obtenção de um prazer e a diminuição de uma carência. 


Tive alguns clientes que me autorizaram a usar seus depoimentos, para alicerçar essa tese, da qual iremos falar neste artigo, de que a Terapia de Reprogramação TACAI, associadamente com a Constelação Sistêmica de Bert Hellinger, podem ser excelentes instrumentos terapêuticos, no auxílio de adictos, nas mais diversas dependências.

Antes porem sugerimos que assistam estes dois pequenos vídeos:


O que é a TRT?



O que a Constelação Familiar?





Um caso clínico de dependência a cafeína


Certa ocasião estávamos em sala de aula falando de uma técnica de suporte à remoção da bioquímica que traz mal-estar, pela lembrança traumática de uma memória ou um evento traumático, a TRT – Terapia de Reprogramação e Ressignificação de Traumas, do método TACAI da Unate – Universidade Aberta do Terapeuta, quando surgiu a pergunta, “ se a TRT bloqueia e adultera a formula da bioquímica no cérebro, que leva ao mal-estar de uma lembrança traumática, livrando a pessoa desse mal estar, ao pensar na situação, será que a TRT também pode ajudar a remover a bioquímica que leva à fissura de um vício? ”. 



Esta instigação nos levou à curiosidade de avaliar esta possibilidade, que fazia todo sentido, já que as sensações da fissura, pelo vício tem o mesmo princípio da lembrança traumática, na construção das sinapses no cérebro, e que a dependência pode ser definida como uma memória de compulsão do adicto, para o uso da droga ou comportamento buscando a obtenção de um prazer e a diminuição de uma carência. 

Não falamos somente do prazer acionado bio-quimicamente, mas do ganho secundário provocado por memórias, sensações, substituições, que acabam retirando o indivíduo, temporariamente, da sensação de desconforto provocada por algum vazio, carência.



Como foi realizada a reprogramação na nossa aluna:

Já sabíamos de que uma de nossas alunas tinha o hábito de levar para sala de aula uma garrafa de café e a tomava toda, no transcurso de um expediente de aula.

No mesmo momento da pergunta do aluno, sobre o uso da TRT, para auxílio na terapia contra vícios, perguntamos a uma de nossas alunas, se ela gostaria de se livrar de sua dependência da cafeína, de pronto ela respondeu que NÃO, pois gostava muito de café. 

Retruquei dizendo, que não se tratava de impossibilitá-la de tomar café e sim de leva-la a uma condição de ser uma pessoa livre dessa dependência da cafeína, já que ela tomava 2 a 3 litros de café por dia, e se não tomasse sentia-se muito mal. Então, nestes termos, ela aceitou o desafio. 

Iniciamos fazendo uma rápida anamnese onde identificamos que a mãe da cliente, durante a sua gravidez, tinha desejos incontroláveis de comer pó de café, e isso não deixava de ser, para nossa cliente, um vínculo com sua mãe, já que sempre teve alguma dificuldade de relacionamento com ela e o café não deixava de ser o elo que as conectava, trazendo a sensação de pertencimento e inclusão para a filha.


Optamos então em iniciar a terapia fazendo uma rápida sessão de reprogramação com a TRT e marcando para o outro dia, uma Constelação Familiar, para recolocar em harmonia as “ ordens do amor ” de Bert Hellinger, da cliente com sua mãe.  


No dia seguinte, quando nossa aluna e agora cliente retornou para a consulta de constelação de consultório, já relatou que no dia anterior, desde a reprogramação com a TRT, já não havia mais sentido a falta do café e que havia dormido, sem tomar café no jantar, e no café da manhã, só havia tomado uma xícara e estava, até o presente momento, seis hora depois, sem sentir nenhuma vontade de tomar café, algo inacreditável para quem tomava 3 litros de café , por dia.


Partimos então para uma rápida conversa e logo em seguida foi feita a Constelação Familiar, onde foram colocada a cliente e o vício do café, para ser constelado. Logo identificamos que o vício do café e sua mãe estavam ocupando o mesmo espaço, na vida da cliente, durante o processo houve uma ab-reação*, com choro, que foi imediatamente tratada com a TRT, e o resultado desse tratamento foi disponibilizado em vídeos logo abaixo.


*  Ab-reação, termo introduzido por Sigmund Freud e Josef Breuer em 1893, para definir um processo de descarga emocional que, liberando o afeto ligado à lembrança de um trauma, anula seus efeitos patogênicos.


Conheça melhor a Unate – Universidade Aberta do Terapeuta

No comments:

Post a Comment